quinta-feira, 22 de julho de 2010

POESIA LINDA

       Hoje quero compartilhar com vocês, uma delícia de poesia e poeta, Manoel de Barros.



Para entrar em estado de árvore é preciso partir de um torpor animal de lagarto às três horas da tarde, no mês de agosto.
Em dois anos a inércia e o mato vão crescer em nossa boca.
Sofreremos alguma decomposição lírica até o mato sair na voz.
Hoje eu desenho o cheiro das árvores.
___

Não tem altura o silêncio das pedras.
___

Poesia é voar fora da asa.
___

Em casa de caramujo até o sol encarde.
___

A chuva deformou a cor das horas.
___

Um comentário:

juliani bst disse...

poesias viva sonhe mais munca esqueça que sen sonho nao teras vida mais sim um ma dezilusao poriço eu sonho e sou felis pois no sonho eu eu vivo e vivo e sou felis.