quinta-feira, 22 de julho de 2010

ABALONE

Há algum tempo atrás, era moda usar um anel ou um brinco de abalone. Hoje, menos comum, somente quem gosta muito e tem bom gosto, usa semi-jóias com abalone.



Os abalones são moluscos, espécie de caracóis marinhos, que vivem preferencialmente em águas frias. Pertencem ao gênero Haliotis, da família Haliotidae.
Sua concha é arredondada ou ovalada, achatadas, e nela vemos uma seqüência de furos (poros), variando de 2 a 9, conforme o tipo de abalone, seguidos por uma seqüência de pequenas elevações, sem furos. Sua cor externa varia de acordo com o seu habitat natural. Já na face interior, encontra-se uma belíssima e iridescente madrepérola, podendo ser negra, azul, verde, rosa, amarela, vermelha, branca, entre outras mais. Normalmente alimentam-se de algas marinhas e é em meio a elas que costumam ser encontrados.
 Durante a maré baixa, alguns podem até ser colhidos facilmente com as mãos, mas normalmente encontram-se nas águas mais profundas, abaixo de 30 a 40 pés da superfície, alguns até mesmo abaixo de 1200 pés, e nas proximidades  da costa.Sua colheita, para fins alimentícios e também para a joalheria e decoração, começou no Japão, a partir dos anos 30 DC.
A partir de 1960, com o uso de equipamentos de mergulho mais sofisticados que possibilitam o mergulho mais profundo, houve um abuso em sua colheita comercial, diminuindo consideravelmente sua população, e colocando em risco a continuidade de muitas das espécies. Também a poluição dos continentes, diminuição de alguns tipos de algas, alteração das temperaturas dos mares e aumento de predadores naturais, tem afetado a população de abalonesidades da costa.
Hoje, em alguns países, existe legislação específica a respeito disso, impondo cotas máximas permitidas na pesca, tamanhos mínimos a serem respeitados, e até mesmo a proibição total de sua colheita em determinadas épocas do ano ou mesmo por tempo indefinido, até a recuperação das espécies. Mas a colheita ilegal infelizmente ainda existe e é bastante predatória
Mas nem tudo está perdido, existem hoje cultivos voltados somente a isso, sem interferir nos abalones em habitat natural, e também estudos para aumentar a procriação natural nos mares. Mas ainda são insuficientes, e a colheita predatória ainda impera. Com isso, os preços dos abalones aumentaram muito.

Nenhum comentário: