domingo, 25 de julho de 2010

25 de Julho – Dia do Escritor

Escrever é um ato de amor e coragem. Amor, porque através das palavras, o escritor consegue passar para o leitor seus sentimentos, verdades e posições sem medo e se entregando por inteiro. Coragem, porque é a partir deste veículo de comunicação que o escritor transmite informações, desperta o censo crítico e desenvolve o gosto pela leitura. Esta não é uma tarefa fácil. Em contrapartida, escrever faz aflorar emoções, desenvolve opiniões, cultiva o lado lúdico e imaginário do leitor. Escritor é aquele que escreve para os jornais, as revistas, os livros e simplismente escreve para outros seres humanos, interagindo suas ideias, emoções e anseios, desenvolvendo uma relação cúmplice em favor da cultura.


Em 1960, por decreto governamental, o dia 25 de julho foi instituído como Dia Nacional do Escritor. Tal iniciativa se deveu ao sucesso do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado naquele ano pela União Brasileira de Escritores- UBE, por iniciativa de seu presidente, à época, João Peregrino Júnior, e de seu vice-presidente, o célebre escritor baiano Jorge Amado.
                                                 
                                                  

“Somos todos escritores. Só que uns escrevem, outros não.” (José saramago)
“No Dia do Escritor comemoramos a solidão diante da palavra, a verdade, o medo, a alegria, o amor indizíveis de só saber escrever.”( Gabriel Perissé)
"O escritor original, enquanto não está morto, é sempre escandaloso." ( Simone de Beauvoir )
"As duas coisas mais envolventes de um escritor são tornar familiares as coisas novas e tornar novas as coisas familiares."( Samuel Johnson )
O mais belo triunfo do escritor é fazer pensar os que podem pensar. ( Eugène Delacroix )
"O verdadeiro escritor não tem nada a dizer. O que conta é o modo que ele diz." ( Alain Robbe-Grile )














Um comentário:

Kátia Vieira Silva disse...

Gostaria de deixar um comentário sobre o DIA DO ESCRITOR.
" A inspiração de um poeta é impossível decifrar. Nem sempre é o que parece, quando não parece é que é ou será.
Escreve às vezes o que sente, em outras somente o que vê. Complica a vida da gente sem a gente perceber.
De fato não sei se acredito nesse sujeito tão diferente. Que brinca assim com as palavras tirando o sossego da gente.