sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

FELIZ 2011

A todos os amigos que me acompanharam nesta minha nova empreitada que foi a criação do blog, muito obrigada. Agradeço o incentivo, o apoio, as orientações, as dicas, as críticas positivas e negativas, os elogios, as participações.
Vocês são muito importantes para que o blog exista e permaneça.Que em 2011 eu possa postar mais e melhor e com certeza continuarei contando com a participação de vocês, com comentários, mensagens, textos, fotos, vídeos e o que mais vier.
Um Ano Novo cheio de amor no coração e aquela teimosia imensa para tentar ser feliz.
                                                            Beijos, Katita

domingo, 26 de dezembro de 2010

As listas da Revista Época

A edição da revista Época desta semana vem recheada com as listas dos principais acontecimentos de 2010.
Deixo com vocês as listas que  mais me chamam a atenção, pois estão relacionadas com a área da Biologia.

OS 10 DESASTRES AMBIENTAIS
1* A tragédia do Haiti com um tremor de 7 graus na escala Richter.
2* A destruição no Chile devido a um terremoto de 8,8 graus.
3* O tremor de terra na província de Qinghai no Tibet.
4* O megavazamento no Golfo do México.
5* O depósito de uma fábrica de alumínio em Ajka , na Hungria se rompeu, invadindo com lama tóxica, uma série de cidades.
6* As cheias no nordeste brasileiro.
7* O vulcão islandês que ficou em atividade por quase um mês.
8* As enchentes no Paquistão.
9* A seca na Amazônia.
10* O encalhe de baleias jubarte.
AS 10 DESCOBERTAS CIENTÍFICAS
1* O mapa do Universo.
2* A descoberta de outro planeta com atmosfera em outro Sistema Solar.
3* Os cientistas conseguem armazenar átomos de antimatéria, o que possibilitará entender a origem do Universo.
4* A descoberta, através da análise do genoma de ossos fossilizados do homem de Neandertal, mostrou evidências de cruzamento com o Homo sapiens.
5* A criação da primeira célula controlada pór um genoma sintético.
6* A partir de simulação no computador, cientistas tentam provar que pode etr sido um vento que abriu o Mar Vermelho no milagre bíblico de Moisés.
7* Algumas das penas do Sinossauropteryx, que viveu há 125 milhões de anos, permitem saber qual era a sua cor.
8* Através do fragmento de um dedo mindinho encontrado preservado em uma caverna naSibéria, cientistas acreditam  que podemos estar diante de uma "nova" espécie humana.
9* Cientistas afirmaram que os cometas são os rpováveis responsáveis pela vida na Terra.
10* Cientistas da NASA encontraram uma bactéria que consegue se alimentar de arsênio o que aumentaria a possibilidade de vida fora da Terra.


OS 10 ESTUDOS QUE PODEM MELHORAR SUA SAÚDE
1* Uma alimentação rica em carnes processadas, gorduras \trans e saturadas, cereais refinados, açúcar e aditivos alimentares, dobra o risco de depressão.
2* As pessoas que sofrem de enxaqueca têm o dobro de risco de infarto, derrames ou outros processos cardiovasculares.
3* A ingestão diária de muita fibra pode prevenir o ganho de peso e o aumento da circun ferência abdomi
nal.
4* Para manter o peso saudável, a mulher deve se exercitar ao menos uma hora por dia, cinco a seis vezes por semana.
5* O consumo frequente de carboidratos refinados ( presentes no pão branco e nos biscoitos) aumenta o risco de problemas cardiovasculares.
6*Os antidepressivos podem causar ganho de peso, tremores, diminuição da libido, insônia, etc. Mas são subestimados pelos médicos.
7* O HPV, transmitido sexualmente, também pode causar câncer na região da boca (risco baixo), devido ao sexo oral.
8* O estresse reduz em 12% a chance de engravidar.
9* Noites mal dormidas podem piorar a agressividade e a falta de interesse sexual no período que antecede a menstruação, a famosa TPM.
10* Foi verificado que a tela dos aparelhos celulares apresentam altos índices de contaminação por bactérias. Recomenda-se que sejam limpas com panos levemente úmidos.


sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Mensagem de Natal

Gostaria de presentear a todos os amigos do blog neste Natal.
Pensei em uma maneira especial. Então, resolvi escrever, pois esta é a forma que temos nos comunicado até hoje.
Desejo a todos vocês um mundo em que o amor não seja um sentimento piegas. Em que a compreensão seja, antes de mais nada, a atitude diária de todos nós. Em que a doença seja coisa do passado, pois a ciência estará dando um “banho”. Um mundo em que as crianças não sofram e nem passem fome. Em que a Educação seja privilégio de todos e prioridade para todos. Em que a paz esteja presente nos lares, no nosso trabalho, em nossos corações. Em que a mentira, a arrogância, a inveja, a petulância sejam retiradas dos dicionários. Um mundo em que o respeito esteja presente em nossas ações diárias com relação ao outro, às opiniões, aos credos, às opções de vida, ao planeta Terra e, principalmente a nós mesmos. Desejo um mundo sem violência verbal, física ou ideológica.
 Neste mundo que sonhamos, haverá lugar para muitos sorrisos, alegrias, realizações, diversões, parcerias, responsabilidades, direitos e deveres em equilíbrio.
Que possamos nos preocupar com a água , o lixo, a energia, o ar, o solo, o aquecimento global, pois sem estes elementos nossas vidas nada valerão. Desejo um mundo em que viver seja um ato contínuo de responsabilidade social e que nossas atitudes estejam em consonância com a sustentabilidade.
Acredito que o aniversariante de hoje queira muito um mundo como este que sonhamos. Que tal darmos este presente a ele?

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

FÉRIAS, ESTAMOS DE FÉRIAS!!!!!!!!!!!!!!

Não poderíamos falar em férias, sem relacioná-las com a Biologia.Legal esta explicação que saiu na Revista Recreio sobre o motivo que nos leva a tirar as merecidas férias.
O Blog não vai parar, mas para todos os seguidores e leitores, um ótimo período de descanso e relax.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Hoje tem marmelada? Tem Sim Senhor!

Hoje é o Dia Mundial do Palhaço!
Amo os palhaços. Minha infância foi sempre ligada a esses maravilhosos artistas que fazem do óbvio, da situação inusitada, do momento de tristeza , um momento de alegria e principalmente de reflexão. Lembro-me perfeitamente da minha alegria quando criança, ao conhecer o Palhaço Carequinha. Foi em uma festa infantil. Naquela época, quem levava um palhaço na festa do filho era gente de muita grana. E era mesmo. Meu pai me levou a festa de aniversário de um filho de alguém que ele conhecia e, que com certeza, tinha condições de levar o Carequinha e sua turma toda. Foi uma alegria só. Brinquei com o próprio Carequinha, dancei com o anão MeioQuilo, assisti a mágicas e a malabarismos.

FRASE DE CAREQUINHA : "Estudem, mas estudem com vontade, que vocês serão em muito em breve os dirigentes dessa pátria gloriosa que é ainda o nosso Brasil. TÁ CERTO OU NÃO TÁ?".
Carequinha  

O Bom Menino

Carequinha

O bom menino não faz pipi na cama
O bom menino não faz malcriação
O bom menino vai sempre à escola
E na escola aprende sempre a lição
O bom menino respeita os mais velhos
O bom menino não bate na irmãzinha
Papai do céu protege o bom menino
Que obedece sempre, sempre a mamãezinha
Por isso eu peço a todas as crianças
Muita atenção para o conselho que eu vou dar
(falado)
Olha aqui.
Carequinha não é amigo de criança que passa de noite da sua cama pra cama da mamãe
E também não é amigo de criança que rói unha, e chupa chupeta.
Tá certo ou não tá?
Táaaaaaa
Eu obedeço sempre a mamãezinha
Então aceite os parabéns do Carequinha.
O bom menino...
(falado)
Olha aqui.
Carequinha só gosta de criança que respeita mamãe, papai, titia e vovó
E seja amigo dos seus amiguinhos
E também que coma na hora certa, e durma na hora que a mamãe mandar.
Tá certo ou não tá?
Táaaaaaa
Eu obedeço sempre a mamãezinha
Então aceite os parabéns do Carequinha.
-Viva o bom menino
Vivaaa
Caso você queira saber mais sobre os palhaços ou Clowns , entre nestes endereços:




Aproveito para lembrar dos Doutores da Alegria, que realizam um trabalho genial junto às crianças que se encontram hospitalizadas. Se você se interessar, entre no site     http://www.doutoresdaalegria.org.br/


Não esqueçamos de Arrelia, Bozo e tantos outros, mas sem esquecer daquele que foi um mestre da alegria.
Charlie Chaplin


      

Carequinha e Arrelia nos 50 anos de TV

domingo, 14 de novembro de 2010

14 de Novembro - Dia Mundial do Diabetes


 Desde 2009 até 2013, o Dia Mundial do Diabetes tem como tema principal “Diabetes: Educar para Prevenir”. Com esta campanha a Sociedade Brasileira de Diabetes objetiva chamar a atenção de todos aqueles que direta e indiretamente estão envolvidos com o diabetes.
A International Diabetes Federation e a Sociedade Brasileira de Diabetes estão, no dia de hoje, realizando uma série de eventos em vários locais, a fim de esclarecer a população a respeito da doença.


O diabetes é uma disfunção do metabolismo, isto é, da forma como o organismo usa a digestão dos alimentos para crescer e produzir energia.Nosso corpo precisa de energia para realizar todas as atividades, desde respirar, até comer, correr, falar, andar de bicicleta.
O principal “combustível” (nutriente) que as células do nosso corpo utilizam para ter energia é conhecido como GLICOSE. Esta é obtida através dos alimentos, principalmente daqueles que contém carboidratos (amido e açúcar):
 A maioria dos alimentos que ingerimos contém em sua composição, o açúcar glicose. Esta substância é o principal combustível para o corpo de todos os seres vivos sendo responsável pela realização das funções vitais .
Depois da digestão, a glicose passa para a corrente sanguínea, onde é distribuída e utilizada por todas as células, para que cresçam, se reproduzam e liberem  energia. No entanto, para que a glicose possa penetrar nas células, ela precisa da ajuda de uma outra substância, a insulina. A insulina é um hormônio produzido no pâncreas, uma grande glândula localizada atrás do estômago. Quando nos alimentamos, o pâncreas produz automaticamente a quantidade certa de insulina necessária para mover a glicose do sangue para as células do corpo. Nas pessoas com diabetes, porém, o pâncreas produz pouca insulina ou então as células não respondem da forma esperada à insulina produzida. O que acontece? A glicose do sangue vai direto para a urina sem que o corpo se aproveite dela. Ou então fica no sangue, aumenta o que se chama de glicemia (concentração de glicose) e também não é aproveitada pelas células. Deste modo, o corpo perde sua principal fonte de combustível, pois há glicose no sangue, mas ela não pode ser jogada fora sem ser utilizada.

A diabetes é portanto, uma doença causada pela deficiência na produção de insulina. O pâncreas é o órgão responsável pela produção deste hormônio, que tem uma função bastante simples: aumentar a permeabilidade da membrana plasmática a glicose.
                      Pâncreas, responsável pela produção da insulina



Criado em 1991 pela Internacional Diabetes Federation tendo como parceira a Organização Mundial da Saúde, o Dia Mundial do Diabetes é comemorado em 14 de novembro em homenagem ao nascimento do cientista canadense Frederick Bantin que, em parceria com Charles Best, foi responsável pela descoberta da insulina, em outubro de 1921. Dois anos mais tarde, Banting recebia o Prêmio Nobel de Medicina por esta descoberta e pela aplicação da insulina no tratamento das pessoas com diabetes.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

05 de Novembro- Dia Nacional da Cultura e da Ciência

A data é uma homenagem a Rui Barbosa, Jornalista e Diplomata brasileiro, que brilhou por seus princípios éticos, defesa do abolicionismo e pela luta para que a República fosse instituida no Brasil. Foi um orador magnífico e grande estudioso da língua portuguesa. Presidente da Academia Brasileira de Letras substituiu o gênio Machado de Assis.                                                                      
A cultura inclui  crenças, comportamentos, valores, instituições e as  regras morais que permeiam e identificam uma sociedade.É a identidade própria de um grupo humano em um território e num determinado período.É o conjunto de informações, vivências e experiências de um indivíduo ao longo de sua vida. Já a ciência compreende qualquer conhecimento ou prática sistematizados. No sentido restrito, ciência é o processo de aquisição de conhecimento, onde se utiliza o método científico, objetivando a elaboração de uma teoria.
Entretanto, a ciência e a cultura necessitam para sobreviver, daquela que é a mãe de todos os resultados científicos, de todas as aspirações humanas, de todas as maneiras de um povo se expressar. Estou falando das ideias. Só a partir do pensamento do homem, de suas ideias e suas conclusões, que  cultura e  ciência se fazem vivas e representativas em nosso mundo psicológico, intelectual, sensorial e afetivo. Sem a ideia da matéria, do ser, do ter, do refletir e do amar, o mundo jamais poderia construir seu conhecimento, que se faz cotidianamente e através dos tempos, pelas mãos da cultura e da ciência.
Alguém, não mais que Augusto dos Anjos, já em seu tempo e momento, nos fala da ideia. Apreciem e deixem seus comentários.
                         A Ideia
                                  Augusto dos Anjos

De onde ela vem? De que matéria bruta
Vem essa luz que sobre as nebulosas
Cai de incógnitas criptas misteriosas
Como as estalactites duma gruta?!
Vem da psicogenética e alta luta
Do feixe de moléculas nervosas,
Que, em desintegrações maravilhosas,
Delibera, e depois, quer e executa!
Vem do encéfalo absconso que a
constringe,
Chega em seguida às cordas do laringe,
Tísica, tênue, mínima, raquítica...
Quebra a força centrípeta que a amarra,
Mas, de repente, e quase morta, esbarra
No mulambo da língua paralítica!

 

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Um poema perdido

Arrumando meus papéis antigos, fazendo uma limpeza em minhas pastas, limpando os armários, liberando o que não mais interessa, encontrei este poema que escrevi em outubro de 2008. Deixo com vocês minhas palavras e o meu carinho.

                                           
 Ler
Livro
Leitura
Letra
Letrado
Lendo o livro vou ficando letrado. Livre.
Livre  vou crescendo e descobrindo caminhos.
Caminho por estradas reais e imaginárias. Crio.
Criando vou escrevendo livros,
e tornando os outros livres como eu.

domingo, 31 de outubro de 2010

PROTOCOLO DE NAGOIA


O ano de 2010 foi escolhido para estimular o mundo a agir pela proteção da biodiversidade. Sendo assim, representantes de 193 países reuniram-se no Japão na 10ª Conferência das Partes da Convenção de Biodiversidade da ONU, estabelecendo um acordo pela Biodiversidade do Planeta Terra.Neste acordo ficam acertadas metas que pretendem diminuir o ritmo da extinção de espécies e proteger recursos genéticos.
Além disso, será necessário aumentar a proteção de áreas naturais, a fim de reduzir a perda de várias espécies de plantas e animais.
O acordo garante a implantação de mecanismos de compensação às nações e populações indígenas que contribuam com seus recursos genéticos e conhecimentos para o desenvolvimento de novos remédios, tratamentos, cosméticos e alimentos por grandes empresas multinacionais.
O documento só não foi assinado pelos enviados de três dos 193 países presentes: Estados Unidos, Andorra e Vaticano.



As principais metas para 2020 são:
* Pelo menos 17% das terras e 10% dos mares e áreas de costa devem estar sob proteção
* Deve-se prevenir a extinção ou a diminuição dos números das espécies que se sabem ameaçadas e melhorar seu estatus de conservação
* A diversidade genética entre as plantas domésticas, animais domesticados e seus contrapartes deve ser mantida.
* Salvaguardar e recuperar ecossistemas vitais para a saúde e boa condição de vida.Tornar estes ecossistemas mais resistentes ao recuperar ao menos 15% de suas áreas degradadas de forma que possam reter carbono e conter processos de desertificação.
* Assegurar acessos e benefícios justos pelo uso de recursos genéticos.
* Até 2015, todos os países devem adotar uma estratégia nacional para a biodiversidade e um plano de ação.
* Os países devem promover maneiras de usar os conhecimentos de populações indígenas e de comunidades locais relevantes para a proteção da biodiversidade, além de melhorar e aplicar ciências e tecnologias a ele associados.
* Até 2020, o financiamento a estas metas deve aumentar substancialmente para que sejam alcançadas.

(Texto adaptado do Jornal O Globo de 30 de outubro de 2010)

domingo, 24 de outubro de 2010

Feliz aniversário para a Criatura e o Criador

O Menino Maluquinho completa hoje, 30 anos

Em 1980 Ziraldo publicou o livro infanto-juvenil O Menino Maluquinho, nascendo assim este personagem que hoje completa 30 anos, data que também é o aniversário de seu criador.Ziraldo, desenhista e cartunista mineiro, nasceu em Caratinga,Minas Gerais e  hoje completa setenta e oito anos

Dentre as várias pérolas de sua criação está este personagem que nasceu em um livro, mas serviu de inspiração para peça teatral, filme, história em quadrinhos e até uma série de TV, exibida pela TVE Brasil e pela Disney Channel.
Nesta obra, verso e desenho contam a história de um menino traquinas que aprontava muita confusão. Alegria da casa, liderava a garotada, era sabido e um amigão. Fazia versinhos, canções, inventava brincadeiras. Tirava dez em todas as matérias, mas era zero em comportamento. Menino maluquinho, diziam. Mas na verdade ele era um menino feliz.
Se você ainda não leu este livfrinho encantador ou se deseja reler, entre no site que segue e divirta-se.
http://www.meninomaluquinho.com.br/online/default.asp


sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Parabéns professores, pelo seu dia!

" Não se pode falar de educação sem amor"
                                                                     Paulo Freire

Carta de Paulo Freire aos professores
NENHUM TEMA mais adequado para constituir-se em objeto desta primeira carta a quem ousa ensinar do que a significação crítica desse ato, assim como a significação igualmente crítica de aprender. É que não existe ensinar sem aprender e com isto eu quero dizer mais do que diria se dissesse que o ato de ensinar exige a existência de quem ensina e de quem aprende. Quero dizer que ensinar e aprender se vão dando de tal maneira que quem ensina aprende, de um lado, porque reconhece um conhecimento antes aprendido e, de outro, porque, observado a maneira como a curiosidade do aluno aprendiz trabalha para apreender o ensinando-se, sem o que não o aprende, o ensinante se ajuda a descobrir incertezas, acertos, equívocos.
O aprendizado do ensinante ao ensinar não se dá necessariamente através da retificação que o aprendiz lhe faça de erros cometidos. O aprendizado do ensinante ao ensinar se verifica à medida em que o ensinante, humilde, aberto, se ache permanentemente disponível a repensar o pensado, rever-se em suas posições; em que procura envolver-se com a curiosidade dos alunos e dos diferentes caminhos e veredas, que ela os faz percorrer. Alguns desses caminhos e algumas dessas veredas, que a curiosidade às vezes quase virgem dos alunos percorre, estão grávidas de sugestões, de perguntas que não foram percebidas antes pelo ensinante. Mas agora, ao ensinar, não como um burocrata da mente, mas reconstruindo os caminhos de sua curiosidade razão por que seu corpo consciente, sensível, emocionado, se abre às adivinhações dos alunos, à sua ingenuidade e à sua criatividade o ensinante que assim atua tem, no seu ensinar, um momento rico de seu aprender. O ensinante aprende primeiro a ensinar mas aprende a ensinar ao ensinar algo que é reaprendido por estar sendo ensinado.
O fato, porém, de que ensinar ensina o ensinante a ensinar um certo conteúdo não deve significar, de modo algum, que o ensinante se aventure a ensinar sem competência para fazê-lo. Não o autoriza a ensinar o que não sabe. A responsabilidade ética, política e profissional do ensinante lhe coloca o dever de se preparar, de se capacitar, de se formar antes mesmo de iniciar sua atividade docente. Esta atividade exige que sua preparação, sua capacitação, sua formação se tornem processos permanentes. Sua experiência docente, se bem percebida e bem vivida, vai deixando claro que ela requer uma formação permanente do ensinante. Formação que se funda na análise crítica de sua prática.
Partamos da experiência de aprender, de conhecer, por parte de quem se prepara para a tarefa docente, que envolve necessariamente estudar. Obviamente, minha intenção não é escrever prescrições que devam ser rigorosamente seguidas, o que significaria uma chocante contradição com tudo o que falei até agora. Pelo contrário, o que me interessa aqui, de acordo com o espírito mesmo deste livro, é desafiar seus leitores e leitoras em torno de certos pontos ou aspectos, insistindo em que há sempre algo diferente a fazer na nossa cotidianidade educativa, quer dela participemos como aprendizes, e portanto ensinantes, ou como ensinantes e, por isso, aprendizes também.
Não gostaria, assim, sequer, de dar a impressão de estar deixando absolutamente clara a questão do estudar, do ler, do observar, do reconhecer as relações entre os objetos para conhecê-los. Estarei tentando clarear alguns dos pontos que merecem nossa atenção na compreensão crítica desses processos.
Comecemos por estudar, que envolvendo o ensinar do ensinante, envolve também de um lado, a aprendizagem anterior e concomitante de quem ensina e a aprendizagem do aprendiz que se prepara para ensinar amanhã ou refaz seu saber para melhor ensinar hoje ou, de outro lado, aprendizagem de quem, criança ainda, se acha nos começos de sua escolarização.
Enquanto preparação do sujeito para aprender, estudar é, em primeiro lugar, um que-fazer crítico, criador, recriador, não importa que eu nele me engaje através da leitura de um texto que trata ou discute um certo conteúdo que me foi proposto pela escola ou se o realizo partindo de uma reflexão crítica sobre um certo acontecimentos social ou natural e que, como necessidade da própria reflexão, me conduz à leitura de textos que minha curiosidade e minha experiência intelectual me sugerem ou que me são sugeridos por outros.
Assim, em nível de uma posição crítica, a que não dicotomiza o saber do senso comum do outro saber, mais sistemático, de maior exatidão, mas busca uma síntese dos contrários, o ato de estudar implica sempre o de ler, mesmo que neste não se esgote. De ler o mundo, de ler a palavra e assim ler a leitura do mundo anteriormente feita. Mas ler não é puro entretenimento nem tampouco um exercício de memorização mecânica de certos trechos do texto.
Se, na verdade, estou estudando e estou lendo seriamente, não posso ultra-passar uma página se não consegui com relativa clareza, ganhar sua significação. Minha saída não está em memorizar porções de períodos lendo mecanicamente duas, três, quatro vezes pedaços do texto fechando os olhos e tentando repeti-las como se sua fixação puramente maquinal me desse o conhecimento de que preciso.
Ler é uma operação inteligente, difícil, exigente, mas gratificante. Ninguém lê ou estuda autenticamente se não assume, diante do texto ou do objeto da curiosidade a forma crítica de ser ou de estar sendo sujeito da curiosidade, sujeito da leitura, sujeito do processo de conhecer em que se acha. Ler é procurar buscar criar a compreensão do lido; daí, entre outros pontos fundamentais, a importância do ensino correto da leitura e da escrita. É que ensinar a ler é engajar-se numa experiência criativa em torno da compreensão. Da compreensão e da comunicação.
E a experiência da compreensão será tão mais profunda quanto sejamos nela capazes de associar, jamais dicotomizar, os conceitos emergentes da experiência escolar aos que resultam do mundo da cotidianidade. Um exercício crítico sempre exigido pela leitura e necessariamente pela escuta é o de como nos darmos facilmente à passagem da experiência sensorial que caracteriza a cotidianidade à generalização que se opera na linguagem escolar e desta ao concreto tangível. Uma das formas de realizarmos este exercício consiste na prática que me venho referindo como "leitura da leitura anterior do mundo", entendendo-se aqui como "leitura do mundo" a "leitura" que precede a leitura da palavra e que perseguindo igualmente a compreensão do objeto se faz no domínio da cotidianidade. A leitura da palavra, fazendo-se também em busca da compreensão do texto e, portanto, dos objetos nele referidos, nos remete agora à leitura anterior do mundo. O que me parece fundamental deixar claro é que a leitura do mundo que é feita a partir da experiência sensorial não basta. Mas, por outro lado, não pode ser desprezada como inferior pela leitura feita a partir do mundo abstrato dos conceitos que vai da generalização ao tangível.
Certa vez, uma alfabetizanda nordestina discutia, em seu círculo de cultura, uma codificação que representava um homem que, trabalhando o barro, criava com as mãos, um jarro. Discutia-se, através da "leitura" de uma série de codificações que, no fundo, são representações da realidade concreta, o que é cultura. O conceito de cultura já havia sido apreendido pelo grupo através do esforço da compreensão que caracteriza a leitura do mundo e/ou da palavra. Na sua experiência anterior, cuja memória ela guardava no seu corpo, sua compreensão do processo em que o homem, trabalhando o barro, criava o jarro, compreensão gestada sensorialmente, lhe dizia que fazer o jarro era uma forma de trabalho com que, concretamente, se sustentava. Assim como o jarro era apenas o objeto, produto do trabalho que, vendido, viabilizava sua vida e a de sua família.
Agora, ultrapassando a experiência sensorial, indo mais além dela, dava um passo fundamental: alcançava a capacidade de generalizar que caracteriza a "experiência escolar". Criar o jarro como o trabalho transformador sobre o barro não era apenas a forma de sobreviver, mas também de fazer cultura, de fazer arte. Foi por isso que, relendo sua leitura anterior do mundo e dos que-fazeres no mundo, aquela alfabetizanda nordestina disse segura e orgulhosa: "Faço cultura. Faço isto".

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

05 de Outubro - Dia Mundial dos Animais

Com um dia de atraso, estou lembrando a data, que é de grande importância para Biólogos e amantes da natureza.Até porque fazemos parte deste reino de seres vivos. Escolhi, para marcar esta data comemorativa, o tema da alimentação que exclui os animais, ou que pelo menos reduz o consumo de víveres, como é o casodas pessoas que comem aves e peixes apenas ou que consomem somente peixes em suas refeições, conhecidas como semi-vegetarianas. Existem aquelas que conseguem retirar totalmente a carne animal, que são os vegetarianos radicais. Entretanto surge um grande questionamento em relação às quantidades de proteínas que devem ser ingeridas em uma dieta correta e saudável.Alguns semi-vegetarianos resolvem este problema consumindo ovos e leite. Mas será que esta é a solução? Deixo com  vocês um texto que li no site http://www.guiavegano.com.br/ ( verifique-se que um vegano é radical, evitando qualquer produto de origem vegetal ou que tenha relação com a exploração dos mesmos).

É considerada vegetariana a pessoa que elimina de seu cardápio o consumo de todo tipo de carne (boi, frango, peixe, frutos do mar). Os motivos que levam uma pessoa a adotar uma dieta vegetariana são diversos. Entre eles estão: saúde, meio ambiente, compaixão pelos animais e religião.

Existem várias formas de vegetarianismo, classificadas de acordo com o grau de restrição de alimentos:
Ovo-Lacto-Vegetarianos - Consomem ovos, leite e derivados. É a forma mais comum de vegetarianismo.
Lacto-Vegetarianos - Consomem leite e derivados. Não consomem ovos. Geralmente relacionados com filosofias indianas. Esta é a característica alimentar da maioria da população indiana.
Vegans ou Vegetarianos Puros - Não consomem nenhum produto de origem animal, inclusive ovos, leite e derivados, gelatina e mel. Os vegans vão ainda além da questão alimentar, abstendo-se também do consumo de lã, couro e cosméticos que contenham derivados animais ou que tenham sido testados em animais. É a forma mais completa e mais rara de vegetarianismo, apesar do número de adeptos estar crescendo ultimamente.
Pessoas que incluem carnes em sua alimentação são chamadas de onívoras.

Estudos científicos constantemente provam os benefícios que uma dieta vegetariana proporciona, que vão desde melhor desempenho nos esportes à reversão de doenças do coração:
Controle de Peso: Uma dieta isenta de produtos animais é pobre em gordura, o que reduz o conteúdo calórico da refeição. Além disto, outros fatores como o conteúdo de fibras da dieta também contribuem para a redução e manutenção do peso ideal. Para obter a mesma quantidade de calorias, a pessoa precisa ingerir uma quantidade maior de alimentos, o que possibilita mais saciedade com menos calorias.

Redução do Risco de Doenças do Coração: Além de ser mais pobre em gordura, uma dieta sem produtos animais (carnes, ovos, leite e derivados) é totalmente isenta de colesterol. A abundância de fibras da dieta ainda ajuda o organismo a eliminar o colesterol excessivo.

Redução do Risco de Desenvolver Câncer: Os alimentos de origem vegetal são muito ricos em vitaminas e minerais que são de fundamental importância para uma boa saúde. A baixa quantidade de gordura e a abundância de fibras presentes nestes alimentos também contribuem para a redução do risco de desenvolver várias formas de câncer.

Outros Benefícios: Melhora a disposição e energia, possibilita a descoberta de novos alimentos, reduz o risco ou amenizar os efeitos de doenças degenerativas como osteoporose, obesidade e hipertensão, reduz os sintomas ou elimina alergias e artrites, evita sofrimento de animais, reduz as agressões ao meio ambiente.

Uma dieta vegetariana é um passo obrigatório no caminho de uma vida saudável!
.
Muitos se perguntam o que resta para um vegetariano puro (vegano) comer já que ele elimina todos os alimentos de origem animal de sua alimentação. Veja só quantos alimentos ainda sobram:
Vegetais: folhas, legumes, brotos
Cereais: arroz integral, trigo, aveia, milho e cevada
Leguminosas: feijão, lentilha, grão-de-bico, soja, ervilha
Tubérculos: batata, mandioca, mandioquinha, cará, inhame
Frutos oleaginosos: nozes, amêndoas, castanhas, avelã
Frutas: banana, caqui, pinha, fruta do conde, mamão, figo, tâmara, frutas secas, manga, uvas, ameixa doce, pêssego doce, pêra, maçã, abacaxi, morango, maracujá, frutas cítricas, carambola, kiwi, tomate, maçã fuji e maçã verde, melão, melancia.
Enfim, tudo que é vegetal. Dá pra comer bem, não dá? Os ovo-lacto-vegetarianos ainda incluem em seus cardápios os ovos, o leite e seus derivados.
O mais provável é que a dieta vegetariana traga muitos benefícios para quem a pratica, mas alguns cuidados são necessários.
Em primeiro lugar, a pessoa deve procurar a orientação profissional de um nutricionista, como em qualquer transição alimentar. Não é incomum que vegetarianos se queixem de terem procurado um nutricionista e terem sido mal orientados na sua opção alimentar, muitas vezes tendo recebido a recomendação de voltar a comer carne. A verdade é que os profissionais desta área estão mal preparados, desde a faculdade, para lidar com pacientes vegetarianos, por isso é importante buscar dentre os poucos nutricionistas que se especializam em dietas vegetarianas ou alternativas.
A informação é a principal arma de quem busca adotar uma dieta vegetariana. É preciso conhecer novos alimentos, aprender novas receitas e saber quais são as fontes dos nutrientes mais importantes. Quanto mais informada a pessoa estiver, mais apta ela estará a discernir entre fatos e mitos, o qu eé muito importante quando se trata de nutrição vegetariana.
Uma das questões mais rodeadas de mitos no vegetarianismo é a questão em torno da proteína. Os alimentos vegetais são capazes de suprir o organismo com toda a proteína necessária, seja para uma criança, um idoso ou até mesmo um atleta. Na verdade, existem muitos atletas vegetarianos famosos, como Emerson Fittipaldi, Éder Jofre, Carl Lewis,
Vale saber também que existem muitas crianças vegetarianas (e até mesmo vegans) e elas podem crescer saudáveis e felizes neste estilo alimentar desde o nascimento. Neste caso, alguns cuidados especiais devem ser observados e se torna ainda mais importante a presença de um profissional especializado em nutrição vegetariana.
Boas fontes de proteína são as leguminosas (feijão, soja, grão-de-bico, ervilha, lentilha), as castanhas e o brócolis. Quando a dieta não é rica em alimentos refinados, não há grandes preocupações com a proteína ou o ferro.
O ferro é outro nutriente polêmico da alimentação vegetariana e igualmente rodeado de mitos. Será que o vegetariano corre risco de anemia por não consumir carne vermelha? É verdade que a carne vermelha tem muito ferro, mais ferro que os vegetais em geral, mas isto não significa que os vegetais não possam suprir as necessidades de ferro do organismo. Desde que se assegure que alguns estejam presentes na dieta, o vegetariano pode ficar tranqüilo. Boas fontes de ferro são: soja, tofu (queijo de soja), feijão, vegetais de folha verde-escura (brócolis, couve), amêndoas, semente de girassol, damasco seco e figo seco.
Esta foi a melhor forma que encontrei para lembrar a importância dos anmais para o nosso planeta e para nossas vidas. Eu, particularmente, deve confessar que ainda não consegui me tornar uma vegan. Atualmente, exclui a carne vermelha e dou preferência à carne de peixe.Ainda sou muito imperfeita. Entretanto, um dia chegarei lá!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Você sabe o que é a Amazônia Azul?


O Brasil é internacionalmente conhecido pela beleza de suas praias e de seu litoral. Basta irmos além da espuma das ondas para verificarmos que o mar torna-se um elemento quase que desconhecido  da maioria dos brasileiros.Pouquíssimos brasileiros se dão conta de que metade do território nacional enconytra-se debaixo d’água, a leste da linha da costa.
O objetivo da criação da Amazônia Azul é fazer com que os pesquisadores comecem a dar mais atenção ao potencial marítimo brasileiro. Apesarde quase a totalidade da população brasileira viver a menos de 200 quilômetros do litoral, o conhecimento que se tem sobre o potencial estratégico e econômico marítimo ainda é muito pequeno. Por isso, além de proteger o imenso mar territorial que cerca o país, um dos grandes desafios é garantir soberania para fins de exploração, conservação e gestão dos recursos naturais.
A Amazônia Azul é uma área formada pela soma as Zona Econômica Exclusiva e da Plataforma Continental. Conforme estabelecido pela Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, todos os bens existentes ao longo de uma faixa litorânea de 200 milhas marítimas de largura estão na denominada Zona Econômica Exclusiva.
A Plataforma Continental, que é o prolongamento natural da massa terrestre, pode ultrapassar essa distância, chegando a estender 350 milhas marítimas. Com isso, a Amazônia Azul ocupa uma área de cerca de 3,5 milhões de quilômetros quadrados. Diferentemente de como ocorre na Amazônia Verde, onde as fronteiras são muito bem demarcadas, na Amazônia Azul os limites das águas são linhas imaginárias sobre o mar. Isto porque o mar não possui limites físicos e, por isso, é muito difícil fiscalizar as ações marítimas. Verifica-se que mesmo já tomando conta, os abusos são bem grandes.
Portanto, para que o país consiga adquirir uma ampla estrutura capaz de fazer valer seus direitos de exploração do mar, é necessário estabelecer a adoção de políticas bem definidas para a exploração racional das riquezas da Amazônia Azul.

domingo, 26 de setembro de 2010

Dia Mundial do Coração

Bate, bate, coração (Revista Superinteressante)

No peito existe um músculo do tamanho de um punho capaz de bombear 300 milhões de litros de sangue ao longo da vida. Se ele não for bem tratado, pode parar de funcionar a qualquer momento sem nenhum aviso.

Tum, tum, tum, tum, tum. Durante os 70 anos que dura em média uma vida, o coração bate mais de 2,5 bilhões de vezes, a um ritmo médio de 70 pulsações por minuto, e bombeia 224 milhões de litros de sangue para o corpo de um homem e mais de 295 milhões para o de uma mulher (as mulheres têm esperança de vida maior). Dito de outro modo, nossa bomba vital movimenta o equivalente a 435 toneladas de sangue até que, enfim, pare de funcionar.
O coração faz circular o sangue, que realiza uma longa lista de atividades fisiológicas: fornece oxigênio e alimento a todos os órgãos e tecidos, elimina o gás carbônico produzido pela atividade celular, distribui calor, transporta hormônios e outros mensageiros químicos, serve de estrada por onde circulam as células de defesa do sistema imunológico e executa a ereção do pênis e o estímulo ao clitóris durante a excitação sexual. Cheia de tarefas, essa bomba vital surge como o músculo mais trabalhador e infatigável do corpo humano: ele gera uma quantidade de energia suficiente para mover um caminhão por 32 km. Mas, claro, ele não age sozinho. O cérebro detecta as condições a nosso redor, como a situação climática, os fatores de estresse e o nível de atividade física e regula o aparelho circulatório de forma a satisfazer as necessidades de nosso organismo sob tais circunstâncias.
Não é de estranhar que os cardiologistas considerem nosso coração uma obra-prima da natureza e o mais resistente engenho conhecido. Até hoje o homem não conseguiu fabricar uma máquina que funcione ininterruptamente durante mais de um século e com uma quantidade mínima de partes móveis, quase indestrutíveis. Se não traz nenhum defeito de fabricação nem sofre um grave acidente ou é maltratado, nosso coração pode palpitar durante tanto tempo quanto o de Elizabeth Bolden, a norte-americana que, com 114 anos, é considerada a pessoa mais velha do mundo, segundo o Guinness World Records.
Um terço das mortes
Bem, mas nosso coração de ferro também tem seu calcanhar-de-aquiles. Do contrário, não se explicaria que as doenças cardiovasculares sejam a primeira causa de morte no mundo ocidental. Em todo o mundo, 17 milhões de pessoas morrem em decorrência dessas doenças, que representam um terço da mortalidade total. No Brasil, elas também são responsáveis por mais de um terço da mortalidade total. A cada ano cerca de 350 mil pessoas perdem a vida por causa de doenças no aparelho circulatório, sendo que mais da metade (55%) são homens e o restante (45%) são mulheres.
Em geral, as doenças cardiovasculares evoluem de maneira silenciosa durante anos ou até mesmo décadas sem que o paciente perceba que tem uma bomba-relógio prestes a explodir. É assim que se manifestam as três doenças cardíacas mais freqüentes: a cardiopatia isquêmica, que consiste em uma redução ou privação do aporte sanguíneo ao miocárdio e evolui para uma angina de peito ou um infarto; a insuficiência cardíaca, que ocorre quando o coração perde a capacidade de bombear uma quantidade suficiente de sangue para todo o organismo; e o acidente vascular cerebral, que se manifesta por uma grave lesão obstrutiva ou ruptura nos vasos sanguíneos que irrigam a cabeça. No Brasil, a cada minuto morre uma pessoa vítima de doença cardiovascular. As estimativas dos especialistas são de um aumento de 150% na mortalidade por infarto cardíaco ou acidente vascular cerebral no país até 2025.
Infelizmente, os corações lesados, assim como as veias e artérias destroçadas, não são fáceis de consertar. Às vezes os danos podem ser contidos com um tratamento medicamentoso, é possível acompanhar sua evolução ou possíveis complicações com as técnicas de imagens médicas e existe a possibilidade de eles serem remendados temporariamente com uma cirurgia, como a ponte de safena e a angioplastia. Quando a lesão não é tratável, há duas opções: o implante de um coração doado ou de um artificial. A primeira é limitada e a segunda está em fase experimental. Em países como o Brasil, essa última nunca foi realizada. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a cada ano são feitos em todo o mundo cerca de 4 mil transplantes de coração, um número insuficiente, levando-se em conta que são 50 mil pacientes à espera de um órgão salvador. No Brasil, o número de transplantes de coração é incerto, assim como a necessidade do número de doadores.
A esperança mais imediata está depositada na engenharia genética, que investiga a maneira de induzir a auto-regeneração do tecido necrótico, isto é, que foi morto durante o acidente cardiovascular, e estimular o crescimento de novos vasos sanguíneos nas regiões dos corações enfartados. Como? Por meio de uma injeção de células-tronco nas zonas lesionadas. Essas células são tomadas da medula óssea e do músculo esquelético do próprio paciente e poderiam até mesmo ser extraídas do coração.
Ainda que os experimentos clínicos com células-tronco sejam promissores, a auto-reparação cardíaca ainda está em fase inicial de estudos. Enquanto não chega, a melhor forma de manter o coração saudável é a prevenção. Um dos objetivos principais é evitar a aterosclerose, um processo inflamatório que se caracteriza pela acumulação progressiva de lipídios e elementos fibrosos nas grandes artérias. Se não for interrompido, a passagem do vaso se estreita perigosamente e, em situações extremas, pode resultar no desprendimento de um trombo (coágulo) que interrompe o fluxo do sangue. Se o entupimento afetar as artérias coronárias, aparece o fantasma da angina ou do infarto agudo do miocárdio. Quando acontece num vaso cerebral, há o risco de um acidente vascular cerebral. O geneticista Aldons J. Lusis, do Departamento de Medicina da Universidade da Califórnia em Los Angeles, EUA, estima que “a aterosclerose é a causa subjacente de metade de todas as mortes”.

Fatores de risco
Determinados fatores de risco favorecem a formação dessas placas de aterosclerose no interior das artérias e a aparição de complicações cardiovasculares. Alguns são imutáveis, como a hereditariedade, a idade e o sexo. Os cientistas sabem que certos indivíduos nascem com a propensão inata a desenvolver doenças do coração. “Dentro de alguns anos, se compreenderá o mapa do DNA humano de forma a identificar que fatores criam a propensão das pessoas às doenças cardiovasculares”, diz Raimundo Marques do Nascimento Neto, professor do Núcleo de Pesquisas Cardiovasculares da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e coordenador do Atlas – Corações do Brasil, o primeiro estudo a trazer um panorama dos fatores de risco cardiovascular na população brasileira. “Com um fio de cabelo será possível traçar o mapa genético de cada pessoa. Poderemos antecipar as mudanças no estilo de vida necessárias para evitar uma doença cardiovascular. O tratamento será personalizado e não massificado, como hoje”, afirma o médico.
O simples fato de ser homem já é um fator de risco importante no caso de problemas cardíacos. Isso porque os hormônios masculinos, ou seja, os andrógenos, estimulam os genes que aceleram o depósito de colesterol nos vasos sanguíneos, segundo revela um estudo realizado na Austrália. A saúde cardíaca, no entanto, não depende apenas do acaso genético. Seu controle está em nossas mãos. “A adoção de um estilo de vida saudável é o que de fato tem a capacidade de evitar ou acelerar o aparecimento de doenças cardiovasculares”, afirma Nascimento Neto. Mas o que são hábitos saudáveis para o coração? Basicamente consiste em controlar certos fatores de risco associados ao problema cardíaco que se instalaram perigosamente na sociedade contemporânea. A hipertensão, a obesidade, o tabagismo, a falta de atividade física, o estresse contínuo, o excesso de colesterol e a diabetes são citados como os maiores inimigos do coração.
A boa notícia é que podemos prevenir as doenças do aparelho circulatório de uma maneira simples e radical. Numerosos estudos revelam que, para reduzir pela metade ou mais o risco de sofrer um infarto ou um acidente vascular cerebral, é importante deixar de fumar, realizar exercícios físicos regularmente e passar menos horas em frente à TV, diminuir o estresse diário, abandonar a má alimentação e a comida do tipo fast-food (rica em colesterol ruim) em favor de uma dieta repleta de verduras, frutas, cereais, legumes e peixes, checar regularmente a pressão sanguínea e, no caso dos diabéticos, controlar a doença. Um estudo publicado na revista The Lancet aponta que a adoção dessas medidas saudáveis diminui as complicações em nada menos do que 90%. Agora é com você.
Adaptação Lia Hama

Os maiores inimigos

O que você pode fazer para reduzir a possibilidadede doenças cardíacas
Certos fatores de risco cardiovascular, como a idade e a hereditariedade, são inerentes e impossíveis de modificar. Outros, no entanto, estão ligados ao estilo de vida e podemos alterá-los.
INVARIÁVEIS
Idade
Quatro entre cinco pessoas que morrem por causa de uma complicação cardíaca são maiores de 65 anos. O risco de sofrer um acidente vascular cerebral se duplica a cada década depois dos 55 anos.
Sexo
Durante a juventude, o homem apresenta maior risco que a mulher de sofrer um infarto. Essa diferença se reduz quando a mulher entra na menopausa devido à queda de estrógenos e se iguala depois dos 65 anos.
Hereditariedade
Filhos de pais com problemas cardiovasculares têm maior risco de sofrer esse tipo de doença do que o restante da população.
MODIFICÁVEIS
Tabagismo
Os fumantes têm o dobro de risco de ter um infarto, assim como de morrer durante um ataque cardíaco. A nicotina e o monóxido de carbono do tabaco prejudicam o sistema cardiovascular.
Álcool
O abuso de bebidas alcoólicas aumenta a pressão arterial, o peso corporal e os níveis de triglicérides no sangue.
Drogas
Certas drogas intravenosas são nocivas ao coração. A cocaína, por exemplo, altera o ritmo cardíaco.
Colesterol
Um alto nível no sangue do chamado colesterol ruim, isto é, o que está associado às lipoproteínas de baixa densidade (LDL), favorece a aparição de complicações cardíacas.
Pressão arterial
A hipertensão arterial predispõe uma pessoa a sofrer uma doença do coração, um infarto ou um acidente cardiovascular.
Diabetes
Mais de 80% dos diabéticos morrem por complicações do sistema circulatório.
Obesidade
Ela aumenta a probabilidade de adquirir outros fatores de risco cardiovasculares, como a hipertensão, a hipercolesterolemia e a diabetes.
Sedentarismo
Quem não move as pernas não move o coração. O exercício físico afasta o fantasma do infarto.
Estresse
A incidência de infartos é maior em indivíduos impulsivos, violentos, ambiciosos e estressados.

Nossa bomba vital

O coração bombeia o sangue para que ele circule por todo o corpo, levando oxigênio e nutrientes necessários às células que sustentam as atividades orgânicas.
O coração humano é formado quase na sua totalidade pelo miocárdio, um músculo de cerca de 300 g cujo espaço central se encontra dividido em quatro cavidades separadas por válvulas e paredes finas. Essa divisão faz com que, na realidade, tenhamos duas bombas vitais: um coração direito, que envia sangue para os pulmões, e um coração esquerdo, que faz o mesmo até os órgãos periféricos. Por sua vez, cada um desses corações constitui uma bomba pulsante de duas cavidades, composta por uma aurícula e um ventrículo. A primeira funciona como uma minibomba, que ajuda a transportar o sangue para o interior do ventrículo e esse, por sua vez, se contrai vigorosamente para bombear o fluido vital em direção aos pulmões para realizar a troca gasosa ou em direção às células mais remotas do corpo. Perfeitamente sincronizadas, as quatro câmaras administram, com suas batidas, os cerca de 6 litros de sangue corporal através de uma vasta rede de artérias, arteríolas, veias e capilares que, se fosse colocada em linha reta, cobriri 80 mil km – o equivalente a mais de 185 vezes a distância entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.